sábado, 5 de abril de 2008

O DIA EM QUE MINHA SOBRINHA CHOROU - FIM.

... Continuação.








... Ela havia então começado a chorar, seu corpinho tremia muito, acredito que ela estava morrendo de medo do que estava acontecendo, mas mesmo assim eu não conseguia parar, eu queria sentir mais e mais o corpo da minha linda menina, eu queria ter o gosto de sua pele, saliva e liquidos em minha boca, eu queria devorar minha sobrinha... forcei então sua perna para que ficasse aberta, enquanto falava para minha sobrinha, que a titia só queria dar uma olhadinha, e que não iria machuca-la, mas minhas palavras não fazião efeito, ela continuava a chorar baixinho, pedindo para que eu parasse; foi quando olhei para o meio de suas perninhas abertas e vislumbrei sua "xaninha" completamente fechadinha, com uma pelinha rosada fechando o canalzinho de sua bucetinha, ela tinha a pele muito branquinha e sem nenhum pelo, sua racha era completamente rosada e muito pequena, naquele momento eu me lembrei de como eu era e de como era ser pura e virginalmente inocente.





Com suas pernas ainda levantadas para o lado e completamente aberta, comecei a passar vagarosamente minha lingua em sua bucetinha, lambia e chupava com delicadesa sua racha, enquanto falava para minha menina que não precisava mais chorar, pois não estava doendo, e que a titia não iria deixar ninguem machuca-la, e só iria sentir o gostinho de sua "pererequinha", continuei então a chupa-la cada vez com mais tesão e ternura, ao mesmo tempo forçava a pontinha da minha lingua naquela pequena abertura por onde saía sua urina, tomando todo cuidado do mundo para não rasgar seu himem, e arrancar seu cabacinho; fui aos poucos diminuindo o rítimo até a completa exaustão, havia dado um banho de lingua em minha pequena menina, tinha chupado sua buceta até ficar vermelhinha, seu gosto e perfume ficarão para sempre em meus pensamentos e na minha memoria, ao parar, olhei para minha sobrinha que também já havia parado de chorar e estava apenas com as marcas das lágrimas em seus olhos e rosto, e disse com um sorriso largo em meu rosto: Viu só, a titia falou que não ia machucar você, eu só estava vendo se você era igual a titia; fechei então suas perninhas e deitei meu corpo sobre o seu, e a abracei muito forte procurando sempre beijar sua boca e sentir sua pequena lingua... virei na cama ficando do lado do seu corpo e com minhas mãos virei minha sobrinha de bruços, deixando ela deitada de barriga para baixo e costas virada para cima, levantei meu tronco e passei a alisar suas pernas, coxas e bundinha, era tão branquinha e magrinha, mas já podia notar o quanto seu trazeiro era arrebitado, passei então a lamber e a dar pequenas mordidads em sua bundinha, enquanto enfiava minha lingua por entre suas pernas, bunda e vulva, abri então suas perninhas e me posicionei no meio delas, e com as duas mãos levantei seu quadril a deixando de quatro para mim, nossa ela estava de joelhos sobre a cama e com sua racha e bundinha na altura da minha boca e olhos, esperando apenas ser invadida por minha lingua e dedos, e foi isto que aconteceu, passei então a chupar e lamber sua vagina e bundinha, ao mesmo tempo em que meu dedo indicador ia aos poucos sendo introduzido dentro do seu apertado anus, eu falava a todo momento para ela não se preocupar e não ter medo pois a titia não iria machuca-la, so queria dar o prazer e a alegria que ela havia proporcionado a titia... e a medida que chupava sua raxinha, meu dedo indicador entrava cada vez mais profundo em seu anus, tirando pequenos gemidos da minha menina, vagarosamente eu introduzia meu dedo indicador em sua bundinha muito apertada, introduzia e deixava um pouquinho, depois voltava a forçar mais um pouquinho, até a completa insersão do meu dedo em seu pequeno rabinho, estava agora com o dedo indicador completamente dento do anus da minha sobrinha, notei que seus olhos já estavão cheios d'água, mas ela não chorava, apenas gemia baixinho e forçava muito forte os musculos do anus para continuarem fechados, passei então a retirar vagarosamente meu dedo de dentro dela, e a medida que ia saindo, eu voltava a introduzi-lo novamente, até a completa introdução, fiquei varios minutos fazendo aquilo até que decidir colocar dois dedos dentro dela, comecei então a retirar meu dedo indicador, e a medida que saía podia-se notar que estava todo lambuzado, tirei-o completamente do anus da minha menina e mesmo estando todo lambuzado e sujo, gospi na bundinha da minha sobrinha e me preparei para introduzir novamente meu dedo indicador juntamente com meu dedo médio, e a medida que forçava entrada com meus dois dedos, as gemidas da minha sobrinha tornaram-se cada vez maiores pois ela havia trancado o cuzinho, forçando a bundinha para que eu não entrasse dentro dela, falei então para minha menina relachar, pois a titia não tinha machucado ela e que já estava acabando, passei então a forçar meus dedos contra sua bundinha, foi quando eles entraram rasgando e tirando lágrimas dos olhos daquela fragil criança, e mesmo assim eu não conseguia parar, ao contrario, passei a introduzir meus dois dedos cada vez mais forte e profundo em seu anus, que agora lantejava de dor pois a medida que eu introduzia e forçava meus dedos em seu interior, eu massageava sua "xana" com meu dedo polegar, fazendo com que ele machucasse seu cabaço, mas sem rompe-lo. minha sobrinha começava a chorar novamente me pedindo para parar, mas quanto mais ela chorava, mais eu introduzia e forçava, até que ela não aguentando mais começou a defecar em meus dedos e mãos, retirei imediatamente meus dois dedos de dentro dela enquanto ela cagava e chorava, afastei a coberta juntamente com o restante das coisas que estavam sobre a cama e esperei ela terminar de defecar, enrolei então o lençol e retirei-o da cama, ao mesmo tempo que jogava-o para o canto do quarto, mostrei então meus dedos para minha sobrinha e disse que aquilo era normal, e voltei a coloca-la sobre a cama novamente, ela não podia deitar pois sua bundinha e pernas estavam todas sujas, posicionei-a de quatro novamente, e sem perder tempo, introduzi novamente meus dedos, ela fazia força para que meus dedos não entrassem, aproveitei então que meus dedos estavam todos lambuzados e forcei entrada de uma só véz com três dedos, foi quando ela deu um berro muito alto ao mesmo tempo em que sangue começou a sair de seu anus, introduzi sem dó três dedos de uma só véz dentro da minha sobrinha e iniciei um vai-e-vem muito lento e ritimado, notei que suas pregas anais haviam se rompido, e o sangue que saia aos poucos, vinham destas feridas abertas bem na borda de seu cuzinho, passei então a massagear sua pequena vagina com meu polegar, mas tomando todo cuidado do mundo para não romper seu cabacinho; com meus tres dedos em seu rabinho, minha menina chorava muito e seu corpinho parecia ter congelado, pois nenhum movimento saía dele, a não ser soluços e lágrimas, eu estava possuida pois quanto mais minha sobrinha chorava, mais força eu empunha em meus dedos, fazendo-os penetrarem cada vez mais profundo e mais rápido, até que introduzi todos os meus dedos até o talo em seu anus, ela estava agora com tres enormes dedos em sua bundinha de menina, e aos poucos retirei meus dedos de seu rabinho e deitei-a no cochão não me importando se ele iria ou não se sujar, minha sobrinha estava com os olhos imersos em lágrimas e com os bracinhos estendidos no rumo do umbigo simplesmente congelado e atonita, tentando de todas as formas impedir que eu a invadisse novamente... abracei-a muito forte, e naquele momento uma dor muito grande apoderou-se de mim, o que eu havia feito? eu não acreditava que tinha acabado de molestar minha própria sobrinha de apenas 6 anos, então comecei a chorar juntamente com minha sobrinha; acredite, o remorcio era muito grande, mas maior ainda era o medo de que minha irmã descobrisse o que havia acabado de acontecer com sua filha, comecei então a suar frio ao mesmo tempo em que beijava as mãozinha de minha sobrinha e pedia-lhe perdão por tê-la machucado; minha menina havia parado de chorar, estava apenas com os olhos vermelhos e soluçando, acredito que ela estava agora espantada e com medo ao me ver chorar e pedir-lhe desculpas sem parar, foi quando ouvi novamente aquela vozinha fininha e angelical me perguntando: Titia por que está chorando, eu te machuquei? me desculpe titia, me desculpe...
Existem momentos em nossas vidas que erramos, mas mesmo assim as vezes é possível concerta-los com o tempo ou pelo menos aprender com os erros, mais a pior coisa do mundo e que nos mata a todo momento nos consumindo a cada respiração, é o remorcio, remorcio por ter feito as coisas mais horriveis do mundo com as pessoas que mais te amam, e pior fica, quando estes erros não podem ser concertados ou esquecidos, resta-nos então a dor e a maldição, e foi isto o que aconteceu comigo... A maldita vida que hoje levo, é reflexo do dia em que fiz minha sobrinha chorar.

Um comentário:

Dre disse...

Isso só pode ser mentira... não acredito que publica isso vc de veria ser presa!!! Quer que façam com seu filho (a)?
Vc deveria apodrecer na cadeia, sem coquetel nem nada Aidetica safada!!! e se for fake (se vc faz um personagem aqui) pior ainda que tem esse tipo de fantasia! E ssa craiatividade monstruosa para escrever essas coisas. MONSTRO